Fundamento, a base de todas as igrejas

Compartilhe isso com seus amigos

Fundamento, a base de todas as igrejas | Conselheiro Cristão

De uma forma figurativa que está escrita em nosso livro Sagrado, relata que a igreja tem a sua obra em andamento para uma edificação. Esse rico simbolismo aponta para a necessidade de um fundamento, sem o qual nenhuma construção é capaz de ser erguida em condições de se manter em pé ou suportar a ação do tempo.
A igreja tem o seu núcleo incipiente, pois, todos os discípulos tiveram o seu preparo com Jesus, para serem as colunas de sustentação apostólica, segundo a bíblia.

teriam a responsabilidade ímpar de iniciar a construção desse grande edifício chamado IGREJA. Vai chegar portanto, o momento supremo que se descortinará para a história esse projeto concebido na mente de Deus.Com esse propósito, o Mestre inicia uma reflexão e faz a pergunta para todos, que por sinal é inquestionável: “Quem dizem os homens ser o filho do Homem?” (Mt 16.13).

Ao analisarmos a bíblia numa leitura menos teológica, tem-se a impressão de que o Senhor está em processo de auto-afirmação, buscando com isso, o reconhecimento da opinião pública.

No entanto, à medida em que se aprofunda o diálogo, verifica-se que foi que foi apenas o ponto de partida para chegar ao cerne da questão: A base com fundamento da igreja nascente.

A pergunta que enseja os discípulos é a oportunidade de mostrar o que eles pensavam sobre a opinião pública .
Uma descoberta interessante, que serve de lição para o dia-a-dia: As percepções sobre a vida variam de pessoa para pessoa e podem ser classificada em nível distintos. São fatores diversos, internos e externos que determinam essa variação.

A avaliação apresentadas pelos discípulos reflete bem essa realidade. Não obstante a clareza da mensagem pregada pelo Senhor, o máximo que as respostas indicam é uma percepção equivocada que situa o Senhor Jesus ao nível dos profetas do Antigo Testamento ( Mt 16.14).

Jesus cita duas palavras de uma mesma raiz, mas com significado diferentes, que expressam a dimensão exata da revelação de Jesus. A primeira é petros ( o nome do discípulo), que significa “um fragmento de pedra”.

A segunda é petra, que é traduzida como “rocha inamovível”, está claro que o Senhor ao mesmo tempo em que reconheceu a sensibilidade de Pedro, como um fragmento de pedra, deixou bem claro e estabelecido que a igreja seria edificada com fundamento sobre aquela pedra inamovível que é Cristo, o filho do Deus vivo que se constituiu na confissão pública do apóstolo.
Que Deus nos abençoe, fiquem na paz e tenham uma ótima noite.

Confira também

Compartilhe isso com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ou comente com o facebook!