A Páscoa e seu significado original

Pascoa 300x200 - A Páscoa e seu significado original

A Páscoa e seu significado original – Leia com atenção

Ola amados e queridos leitores do Conselheiro Cristão, vamos falar sobre a páscoa.
A pascoa é uma importante data comemorativa e dentre muitas outras é considerada umas das mais importantes do nosso calendário.

Nos dias de hoje a páscoa está com o seu significado totalmente distorcido, pois muitos estão levando apenas para o lado do comércio, de maneira que o verdadeiro significado da páscoa esta obscuro na mente de muitas pessoas, e muitos na verdade nem se quer sabem o seu verdadeiro significado.

A pascoa vai muitos mais além do que apenas chocolates e presentes, portanto o Conselheiro Cristão, esta deixando aqui o que significa de fato a pascoa de acordo com a Palavra de Deus.
para começarmos o assunto leia esta passagem no Livro de Êxodo:

E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto, e chegou ao monte de Deus, a Horebe.


E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.


E Moisés disse: Agora me virarei para lá, e verei esta grande visão, porque a sarça não se queima.
E vendo o Senhor que se virava para ver, bradou Deus a ele do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés. Respondeu ele: Eis-me aqui.


E disse: Não te chegues para cá; tira os sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.
Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus.


¶ E disse o Senhor: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores.


Portanto desci para livrá-lo da mão dos egípcios, e para fazê-lo subir daquela terra, a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel; ao lugar do cananeu, e do heteu, e do amorreu, e do perizeu, e do heveu, e do jebuseu.


E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel é vindo a mim, e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem.


Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó para que tires o meu povo (os filhos de Israel) do Egito.
Êxodo 3:1-10.

Então moisés ainda que temente em primeira instância e se sentindo incapaz, Deus disse que estaria com ele, então Moisés foi executar a ordem do Senhor, munido da capacidade de Deus, e crendo no que Deus estaria fazendo por intermédio dele, e pelo poder Deus Moisés fez sinais e invocou diversas pragas contra o Egito em forma de julgamento.

A medida que Deus ia usando Moisés para enviar as pragas ao Egito, Faraó dizia muitas vezes que ia liberar o povo, porém não era o que ocorria, Faraó com o seu coração endurecido estava comprando uma briga na qual ela nem de longe poderia vencer, até que Deus mandou a décima e ultima praga, uma praga tal, que Faraó não poderia fazer nada, além de liberar o povo de Deus, para que ficassem livres de toda a escravidão.

Deus enviou um anjo destruidor cuja função era matar todo o primogênito na terra do Egito, tanto homens como animais, ou seja todo filho mais velho e todo animal.

A primeira Páscoa, como foi?

A decima praga como citado acima, traria a morte dos primogênitos, porém o povo de Israel também estava no Egito, como eles escapariam?

Havia apenas uma forma, obedecendo uma ordem do Senhor, para o próprio bem deles.

Essa ordem consistia em que cada família dentre o povo de Israel deveria pegar um cordeiro macho, que tivesse apenas um ano de idade.

Entretanto esse cordeio não podia ter defeito e pegando o cordeiro nestas condições o sacrificasse, as famílias que eram menores podiam dividir um único cordeiro.

O objetivo deste sacrifico era que os Israelitas deveriam aspergir parte do sangue do cordeiro nas duas ombreiras e nas vergas das portas de suas casas. Uma vez fazendo assim, o anjo destruidor enviado por Deus cujo objetivo era matar todo o primogênito na terra do Egito, vendo o sangue nas portas, não faria mal algum aquela casa. Então dai se originou o termo Pascoa do hebraico pesah, que significa “pular além da marca”, “passar por cima”, ou “poupar”.

E assim os Israelitas ficaram livres daquela condenação, e não havia a morte do primogênito naquela casa pois o sangue do Cordeiro garantia a proteção, dessa forma somente os Egípcios foram danificados por tal praga.

Com o sinal do sangue, Deus estava ensinando ao seu povo a importância da obediência e a redenção pelo sangue, preparando assim os israelitas para o aparecimento do Cordeiro de Deus, ou seja, Jesus Cristo, aquele que tira o pecado do mundo (Jo. 1:29).

Depois dessa praga mortal, Farão permitiu naquela mesma noite que o povo de Israel saísse da terra do Egito (Ex 12:31), dessa forma foi encerrada seculos de escravidão, agora os israelitas estavam livres, e agora estariam viajando em direção a Canaã, a terra prometida da qual Deus havia falado a tempos atrás.
Agora o povo de israel celebraria a Pascoa em toda primavera, em obediência a Deus, que disse que aquele evento seria estatuto perpetuo, que no caso agora seria um sacrificio celebrando a libertaçao da escravidao no Egito.

A libertação do povo

Hoje temos que lembrar também desta data, pois da mesma forma que o povo de Israel foi liberto da escravidão do Egito, nos fomos libertos da escravidão do pecado, por intermédio de Cristo Jesus, que derramou sangue inocente, nos concedendo desta forma a vida.

Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.
1 Coríntios 5:7

Ouça nosso irmão André Carpano falando sobre a páscoa

Que Deus te abençoe, e que você desfrute da verdadeira Páscoa em nome de Jesus!

Compartilhar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.